sexta-feira, 27 de março de 2009

Materiais para o negócio.

A criação pode começar por ser artesanal, uma vez que a principal preocupação é a protecção do caracol dos predadores e o controle de humidade.

Inicialmente podemos usar madeiras, tijolos plásticos, redes e reaproveitar materiais usados. As paletes abandonadas são uma excelente casa e protecção para os caracóis.

Indo para o lado profissional, os viveiros, as estufas e todo os materiais usados na agricultura podem ser usados na helicicultura.

As embalagens para o transporte, são embalagens de plástico aberto que transportam vários sacos de rede contendo 1 kg. cada saco.
As embalagens unitárias contendo 1 kg. são de rede para manter o produto fresco e húmido, uma vez que o caracol é vendido vivo.

19 comentários:

  1. Agradeço toda as informações publicadas nos três blogs.
    Sei que é um óptimo negócio, mas infelizmente moro num pequeno apartamento. Pode ser que um dia tenha um bocado de terra, aí sim poderei por em prática estes conhecimentos.
    Obrigado!!!

    ResponderExcluir
  2. Olá bom dia,
    Estou actualmente desempregada, e vivo numa zona rural da concelho de Vila Franca de Xira, gostava de saber como obter formação para a criação de caracóis, pois tenho terreno que julgo ser suficiente para a instalação. Mas nenhum conhecimento para o arranque da mesma. Agradeço toda a ajuda possível.

    Margarida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá: Se procurar neste blog e nas respostas aos leitores dos posts, encontrarão vários endereços e e algumas empresas que exploram este tipo de negócio, algumas dão formação. Veja também a Bio Jogral.
      Espero ter ajudado:
      Valdir:

      Excluir
  3. Boas agradecia todas as informações para a criação artesanal de caracóis,e sua venda.Tenho 2500m de terreno na região do Minho.Obrigado
    JOSÉ RIBEIRO

    ResponderExcluir
  4. Devo reforçar que o maior gasto aqui neste projecto é sem dúvida o cerco com redes.
    Os predadores naturais dos caracóis nunca desistem é o caso dos pássaros e roedores.
    Quanto ao resto do material, pode reciclar muito lixo para o conforto dos caracís.
    Se dermos uma volta a noite pertto dos contentores do lixo encontramos uma infinidade de materiais que podemos usar na criação dos caracóis.
    O único perigo que eu vejo é para quem está próximo da agricultura e os bichinhos acabam por levar com pesticidas, fora isso: Tudo bém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Construção dum caracolário
      A escolha dum sistema: as opções
      O tipo e as dimensões do seu caracolário ou caracolários dependem,
      obviamente, do sistema de criação de caracóis que escolher e da quantidade
      de caracóis que pretende criar.
      No que respeita à habitação a criação de caracóis pode ser extensiva,
      semi-intensiva ou intensiva, em ordem crescente de complexidade,
      gestão e de insumos financeiros. Podem ser consideradas três opções:
      ? Sistema extensivo: ao ar livre, sistema de criação de caracóis em
      liberdade.
      ? Sistema semi-intensivo ou misto: a postura e incubação/eclosão dos
      ovos ocorre num ambiente controlado, os caracóis jovens são,
      então, removidos após 6-8 semanas para recintos no exterior, para
      que cresçam e/ou engordem.
      ? Sistema intensivo: sistema em cativeiro, por exemplo, em viveiros
      com túneis de plástico, estufas e edifícios com clima controlado.

      Independentemente do tamanho e tipo da exploração de criação de
      caracóis, o sistema de habitação (as instalações) deve ser:
      ? à prova de fuga; os caracóis são mestres em escapar-se e a menos
      que se impeça que tal suceda eles rapidamente deambularão por
      todo o seu jardim e a sua casa (ou os dos seus vizinhos).
      ? espaçoso, de acordo com a fase de crescimento dos caracóis (recém
      nascidos (alevins), juvenis, reprodutores, ou adultos, engordados
      para consumo). Os caracóis padecem com um sobrepovoamento o
      que impede o seu desenvolvimento e aumenta o risco de doenças.
      As densidades de criação adequadas variam entre > 100/m2 para os
      recém nascidos, até 7-10/m2 para os caracóis reprodutores

      ? de fácil acesso e fácil de se trabalhar nele ou com ele , para se poder
      manusear os caracóis, colocar a sua comida, proceder à limpeza e a
      outras tarefas.
      ? bem protegido contra insectos, predadores e caçadores furtivos.
      São vários os materiais que podem ser usados para construir os caracolários,
      dependendo do preço e disponibilidade.
      ? Madeira resistente ao apodrecimento e às térmitas. Na África ocidental
      as espécies arbóreas favoráveis são iroko (Milicia excelsa,
      nome local – odum), opepe (Naucleadiderrichii, nome local –
      kusia), ou ekki (Lophira alata, nome local – kaku). No Sudeste
      asiático as estacas podem ser feitas duma espécie semelhante à teca
      (Tectona grandis), que também é amplamente plantada noutros continentes.
      ? Blocos de areia, ou tijolos de matope (adobe).
      ? Folhas galvanizadas, folhas de polietileno.
      ? Rede de galinheiro, para protecção.
      ? Redes mosquiteiras ou de malha de nylon, para cobrir os recintos,
      como protecção contra os insectos.
      ? Materiais de segunda mão, como sejam pneus de carros, tambores
      de óleo e reservatórios/tanques velhos de água.
      Para além de pneus de carros, de tambores de óleo e de outros materiais
      usados, podem considerar-se os seguintes tipos de recintos para
      caracolários simples:
      ? Caixas de criação (tipo coelheira)
      ? Recintos (semi)escavados
      ? Recintos com mini-gaiolas
      ? Recintos para criação em liberdade

      Pneus de carro, tambores de óleo
      Pneus de carro ou tambores de óleo que já não estão a ser utilizados,
      podem servir como recintos de criação relativamente baratos.
      Empilham-se três ou quarto pneus e entre o pneu de cima e o que se
      segue coloca-se rede mosquiteira.

      Excluir
    2. Os tambores de óleo devem ter orifícios no fundo para drenagem,
      devem ser enchidos com solo de boa qualidade até uma altura de 7-10
      cm, e podem ser revestidos com arame e rede mosquiteira em cima.
      Estas gaiolas são apropriadas para criar uma pequena quantidade de
      caracóis (até cerca de quatro caracóis adultos, em cada contentor) perto
      da habitação do produtor e para uso privado.

      Caixas de criação
      Descrição
      As caixas de criação (do tipo coelheira) têm uma forma quadrada ou
      rectangular, são caixas individuais ou com compartimentos múltiplos
      de madeira com tampas, colocadas sobre pés (estacas), acima do chão,
      a uma altura conveniente para facilitar o manuseamento. As estacas
      devem ser revestidas com protectores (“aventais”) de plástico ou de
      metal, cónicos, para evitar que os animais infestantes rastejem ou trepem
      por elas e ataquem os caracóis que se encontram nas caixas. Estes
      protectores podem ser fabricados a partir de latas ou de garrafas de
      plástico velhas. No meio da tampa faz-se um orifício coberto com rede
      de arame e malha de nylon. Deve-se colocar um cadeado na tampa
      para desencorajar furtos. No fundo da caixa fazem-se alguns orifícios
      através dos quais a água em excesso poderá escorrer. Enchem-se as
      caixas com terra escura, crivada, até uma altura de 18-25 cm. E óbvio
      que as caixas devem ser bem protegidas contra o sol abrasador e contra
      chuvas torrenciais.
      Aplicação e uso
      Estas caixas (de criação) são úteis num sistema semi-intensivo de
      criação de caracóis. São apropriadas como gaiolas viveiros e de incubação
      porque os ovos e os caracóis jovens podem ser facilmente localizados
      e observados.
      Os caracóis adultos que se encontram em caracolários maiores podem
      ser transferidos para caixas de criação quando começam a fazer buracos
      para aí porem os seus ovos. Os caracóis reprodutores devem ser
      retirados para as suas gaiolas depois dos recém nascidos começarem a
      sair dos ovos.
      Deve-se mudar ocasionalmente a terra pois a acumulação de dejectos
      aumentará as possibilidades de desenvolvimento dede doenças. É conveniente
      mudar-se a terra de três em três meses.
      Vantagens e inconvenientes
      As caixas de criação devem ser colocadas perto da habitação do produtor
      de caracóis, garantindo uma boa supervisão e protecção. O facto
      que se encontram a uma altura que permite trabalhar comodamente, o
      que facilita a alimentação e manuseamento dos caracóis.
      Como inconvenientes desta forma de instalação podemos mencionar o
      custo da construção e o seu tamanho limitado, que restringe o número
      de caracóis que aí podem ser criados (mais ou menos 30 recém nascidos/
      juvenis, ou cerca de três caracóis adultos numa caixa.

      Vejam em " AGRODOK 47.

      Excluir
  5. olá estou fazendo uma pesquisa na faculdade sobre o caracol helix aspersa, fiquei muito interessada na parte culinaria principalmente no caviar de caracol, gostaria de saber como se prepara apartir da retirada dos ovos vivos do ninho como devo proceder para preparalos em caviar, você pode me ajudar? obrigado

    ResponderExcluir
  6. Olá Kelly: Peço desculpas pela minha ausência, estive muito tempo afastado do computador.
    A minha entrada na faculdade e a família exigiram muito de mim. Eu esta va sem cabeça para procurar responder as diversidades de perguntas que me fazem.
    As respostas que você que estão nos sites em inglês.
    Aqui em Portugal ainda não conheço o produto e só há uma empresa que está começando neste mercado.
    Deixo aqui um exemplo da linguagem a pesquisar.

    HomeSNAIL CAVIARRecipesALL PRODUCTSAbout UsDeliveryContact Us
    Character and elegance for a sophisticated dinner table

    A taste of DE JAEGER’s Snail Caviar is a new experience for the tastebuds. It has a subtle flavour which lingers on the palate like the sensation of a walk in the forest after rain, with hints of undergrowth, mushrooms and oak leaves...

    Combined with other delicate flavours, Snail Caviar expresses all the subtlety of its aromas.

    You will find here five recipe suggestions to amaze your guests’ taste buds.



    The Snail Caviar is ideally served at room temperature, and should therefore be taken out of the refrigerator 30 minutes before serving. To keep the caviar at its best, it is important not to place it in the freezer and to avoid using silver cutlery.



    We warmly thank the chefs who have contributed to these mouth-watering recipes.

    ResponderExcluir
  7. Os caracóis continuam me surpreendendo, não sei como uns bichinhos tão pequenos e ranhosos podem mexer tanto com as pessoas.

    ResponderExcluir
  8. A Bio Jogral dá Formação.
    Este tipo de formação não é barata, mas a "Bio" é certificada.
    O Módulo Engorda visa formar os futuros helicicultores nas seguintes àreas:

    Engorda em Estufas.
    Engorda ao ar livre.
    Construção e manutenção dos parques de engorda de acordo com o "Método Simplificado" desenvolvido pela Biojogral.
    Materiais, equipamentos e infraestruturas necessárias.
    Sementeira, espécies vegetais adequadas.
    Rações Balanceadas. Composição e distribuição nos parques de engorda.
    Períodos de regas.
    Apanho, expurgo e secagem.
    Embalagem e etiquetagem.
    Comercialização. Clientes alvo, tipos de embalagem e normas de higiene.
    Fornecedores de materiais e consumiveis.
    Existem mais sites que falam sobre este tipo de formaçao e a palavra chave para fazer a procura é helicicultor.
    Veja este link: http://www.biojogral.com/scripts/default.asp?art_id=45

    ResponderExcluir
  9. Tenho visto em alguns sites estrangeiros criação de caracóis debaixo de placas de madeira, gostaria de saber como funciona e qual o objectivo.
    Obrigado:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo: como já deve ter percebido o dono deste site é uma pessoa muitas vezes ausente e responde aos leitores de tempo a tempos.
      Segundo o "SARAIVA", O que as placas fazem é reter a humidade e proteger os caracóis dos predadores, principalmente das aves.
      As placas dce madeiras são materiais porosos e naturais e sofrem as intempéres da natureza, concentram calor do sol como tambbém a humidade, factores essenciais ao desenvolvimento dos caracóis. Estes saem a noite para comer e regressam ao amanhecer para as suas protecções.
      Um abraço. acho que o dono deste blog devia criar um forum.

      Excluir
  10. Olá amigo: como já deve ter percebido o dono deste site é uma pessoa muitas vezes ausente e responde aos leitores de tempo a tempos.
    Segundo o "SARAIVA", O que as placas fazem é reter a humidade e proteger os caracóis dos predadores, principalmente das aves.
    As placas dce madeiras são materiais porosos e naturais e sofrem as intempéres da natureza, concentram calor do sol como tambbém a humidade, factores essenciais ao desenvolvimento dos caracóis. Estes saem a noite para comer e regressam ao amanhecer para as suas protecções.
    Um abraço. acho que o dono deste blog devia criar um forum.

    ResponderExcluir
  11. vou começar a minha produção já tenho agora vivos para 10 000 caracóis vou fazer o park ate prevê??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo, espero que tenha sucesso no seu empreendimento e que saibas gerir o negócio. Hoje em dia o mais difícil é fazer uma boa gestão e ter bons contatos.
      Felicidades....

      Excluir
  12. Olá. gostaria de me iniciar neste negocio começando artezanalmente. o que me aconselham, tinha ideia de fazer uma especie de estufa e colocar varias coisas como ja foi mencionado telhas, paletes lixo, etc.. e dps colocar la os caracois para se irem reproduzindo.
    obrigado a todos pelas respostas

    ResponderExcluir
  13. Uma vez construído os abrigos que podem swer feitos de paus e redes, paletes, metades de barris e etc...
    Convém fazer mais que um caracolário, reservando um para quando for feita a limpeza.
    Lembrem-se que os caracóis assim como os outros animais precisam ter o viveiro limpo periódicamente para não adoecerem e morrerem.

    Quando começar a criação sugiro que procure saber qual a espécie que vai criar....

    Existem mais de 4.000 espécies de caracóis em todo o mundo, porém as principais são:

    • Achatina fulica ou caracol chinês: pode medir até 20 cm e ter um peso de até 250 grs; é extremamente prolífero;

    • Helix aspersa. Petit Griss ou pequeno cinza: possui o envoltório medindo 3 cm de diâmetro e coloração cinza estriada de negro;

    • Helix aspersa máxima ou Gross Gris: tem um tamanho maior, cerca de 4 cm de diâmetro;

    • Helix pomatia, Grande branco ou Bourgogne: seu envoltório é fino e arredondado, com coloração creme, podendo atingir 5 cm de diâmetro;

    • Helix lucorum ou caracol turco: possui a roupagem manchada, dando um mau aspecto, o que é prejudicial ao consumo;

    • Cepaea sp: encontrado nos jardins, pequeno com casca rajada de negro. É comestível, mas economicamente não vale a pena criá-lo, pelo seu pequeno porte;

    • Strophocehellus: encontrado no litoral paranaense, alcança grandes dimensões, também são comestíveis; porém, sua carne tem consistência muito rija.

    Como manejar essa criação:
    • Diariamente remover as fezes das caixas, com auxílio de uma espátula;
    • Trocar a água dos bebedouros há cada 2 dias e lavá-lo semanalmente;
    • Substituir a ração no máximo há cada 3 dias e lavar o comedouro semanalmente;
    • Borrifar água sobre a caixa todos os dias, retirando o comedouro antes, para não molhar a ração;
    • molhar, sem encharcar, os potes de desova 1 vez por semana;
    • obedecer sempre à relação de 1 até 2 kg de caracol em 1 m².


    Criação em viveiros ou parques
    Devemos observar os seguintes itens:
    • A capacidade do parque não pode exceder 1 kg de caracol por m²;
    • Os viveiros deverão ser totalmente fechados para evitar fugas e ingresso de predadores;
    • Os viveiros deverão ter várias divisões internas com abrigos contra o sol e o vento e, se possível, com árvores sombreadoras;
    • A largura máxima deverá ser de 80 cm para poder alcançar qualquer ponto com a mão;
    • Entre cada parque deverá ter espaço suficiente para a passagem de um carrinho de mão;
    • A água deverá ser tratada e de fácil acesso;
    • No caso de solos encharcados, fazer um sistema de drenagem;
    • Para prevenir predadores terrestres, fazer uma valeta ao redor de cada parque com 30 cm de largura e 30 cm de altura e colocar água corrente;
    • No interior dos viveiros, plantar vegetais verdes;
    • Observar o pH do solo e corrigi-lo para neutro ou ligeiramente alcalino;
    • Prever áreas para futuras ampliações;
    • Se o terreno for muito argiloso, acrescentar até 30% de areia de rio, previamente esterilizada;
    • Colocar bebedouros e comedouros, observando os mesmos cuidados higiênicos, como nas caixas.


    Como manejar esta criação:
    • Sempre à tardinha, observar se as telas continuam intactas, regar a terra, retirando antes a ração (não molhar quando a temperatura for menor do que 10ºC ou maior do que 30ºC); completar os comedouros; substituir a alimentação verde da véspera por outra nova;
    • Replantar os vegetais no interior dos parques;
    • Ter, pelo menos, 3 caracolários de matrizes e deixar sempre 1 vazio para limpeza, desinfecção e plantio;
    • Transportar os filhotes nascidos nos viveiros das matrizes, para outro, não excedendo 1 kg por m²;
    • Após 30 dias, transportá-los para os viveiros de engorda definitivos, na proporção de 100 filhotes por m²;
    • Após 3 ou 4 meses, abatê-los.


    Problemas frequentemente observados
    • Condições inadequadas de manejo;
    • Concentração excessiva de caracóis por m²;
    • Manipulação demasiada;
    • Condições higiênicas a desejar;
    • Falta ou excesso de umidade;
    • Temperatura alta;
    • Falta de controle dos predadores, tais como: roedores, passarinhos, sapos, tatus, lesmas, formigas, ácaros, moscas, etc.

    ResponderExcluir